Follow by Email

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Educação das relações étnico-raciais na escola - parte I


Tendo em vista a educação como um direito social e parte do processo de desenvolvimento humano, a escola figura como o espaço institucional responsável pela abordagem pedagógica do conhecimento.

“... as práticas educativas que se pretendem iguais para todos acabam sendo as mais discriminatórias. Essa afirmação pode parecer paradoxal, mas, dependendo do discurso e da prática desenvolvida, pode-se incorrer no erro da homogeneização em detrimento do reconhecimento das diferenças”. (GOMES, 2001)

      Deste modo, há necessidade de medidas e políticas diferenciadas para que os mesmos direitos sejam garantidos a todos, dadas às distintas trajetórias de vida, muitas vezes, determinadas pela cor da pele.
      Algumas ideias elementares precisam estar bem demarcadas, pois são fundamentais para definir a concepção da qual o sujeito parte para a compreensão da realidade:
·         A humanidade e a civilização surgem no continente africano;
·         Os primeiros seres humanos foram negros;
·         A história dos africanos não tem início com a escravidão colonial;
·         Os africanos contribuíram e contribuem para o desenvolvimento humano universal;
·         A Lei Áurea, assinada em 1888, não significou liberdade plena imediata e a ausência de políticas públicas para inserção do negro na sociedade criou os primeiros marginalizados (uma grande massa de crianças abandonadas, desempregados etc.).


Referência: Nilma Lino Gomes (UFMG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário